Deputado nega ter assessor preso e atribui ato a desespero por sua candidatura a prefeito em Cuité

Cuité Pb online | 18:00 | 0 Comentários

Partilhar


O deputado Charles Camaraense (PSL) disse na manhã deste sábado que o rapaz que foi preso por ordem judicial não é seu assessor, e que tudo não passa de uma armação. “Esse rapaz que foi preso não é meu assessor, ele é mestre de obra e presta serviço eventualmente pra mim. Essa perseguição é porque ele era do grupo político adversário e desde o ano passado que está conosco politicamente”, frisou Charles.

José de Arimatéia Santos estava cumprindo pena restritiva de direitos, prestando serviço numa Unidade Básica de Saúde na Família na cidade de Cuité. Consta da decisão judicial exarada pelo juiz José Jackson Guimarães que o mesmo teria ameaçado a diretora da UBSF, e por isso teria decretado a prisão em regime fechado por 10 dias, para após esse período definir um novo local para conclusão da pena de prestação de serviço a comunidade.

A reportagem do PB24horas entrou em contato, por telefone, com o deputado Charles Camaraense, para ouvir a versão do parlamentar. Ele declarou que trata-se de retaliação do grupo adversário que perdeu o apoio do rapaz que está preso. “Foi negado o pedido de relaxamento de prisão, mas na segunda feira o advogado do rapaz vai entrar com o Habeas Corpus para a liberação dele. Até porque o tempo de cumprimento da pena já foi concluído. E também o advogado vai acionar o juiz no Conselho Nacional de Justiça porque foi um ato ilegal”, revelou Camaraense.

O deputado também anunciou que será candidato a prefeito da cidade de Cuité e por isso ele acha que os adversários políticos estão desesperados. “Vou ser candidato a prefeito de Cuité, por isso que estão nesse desespero. Vou ser candidato e não abro pra ninguém”, anunciou.

Sobre a informação de que o rapaz preso seria assessor, o deputado negou a informação e disse que como suplente na Assembleia Legislativa não tem direito a nenhum assessor, e só apenas a um cargo de chefe de gabinete. “Eu sou suplente e não tenho nenhum cargo de assessor. O que tenho na Assembleia legislativa é um cargo de chefe de gabinete e nada mais. O rapaz era do grupo político dos adversários e aderiu a mim. Ele está comigo em diversas fotos, mas isso não significa que ele é meu assessor”, informou.

Durante a conversa com nossa reportagem, por telefone, o parlamentar também disse que não houve nenhuma ameaça a diretora da Unidade Básica da Saúde na Família. “ A própria diretora da Unidade disse que não houve nenhuma agressão. No processo não tem em lugar nenhum que houve agressão ou ameaça a diretora”, acrescentou o parlamentar.

Charles Camaraense é suplente de deputado, teve na campanha eleitoral 12.157 votos, e assumiu a condição de titular no mandato após uma licença de 121 do aliado político Tião Gomes, que está afastado de suas atividades na Assembleia devido uma cirurgia. Esta semana Tião Gomes tirou nova licença mantendo Charles Camaraense no parlamento.



Portal do Litoral 

Category:

0 Comentários

Deixe aqui registrada a sua opinião, este é um espaço aberto ao debate!
A sua identificação é bem vinda!
Acima de tudo RESPEITO às opiniões!

Participe e volte sempre!