Jornal Correio da Paraíba aponta Cuité com um dos Piores índices do IDHM da Paraíba

Cuité Pb online | 11:29 | 5 Comentários

Partilhar

A Paraíba possui o 4º mais baixo Índice de Desenvolvimento Humano Municipal do País, com apenas 0,658, de acordo com o Atlas do Desenvolvimento Humano Brasil 2013, divulgado ontem. Apesar da posição no ranking (23º), a Paraíba avançou nos últimos 20 anos e saiu do nível considerado muito baixo (0,382 em 1991) e baixo (0,506 em 2000), para o nível médio, que oscila entre 0,600 a 0,699. Cinco municípios da Paraíba apresentam nível alto, entre 0,700 e 0,799: João Pessoa (0.763), Cabedelo (0.748), Campina Grande (0.720), Várzea (0.707) e Patos (0.701).
Em 1991, a situação dos municípios paraibanos tinham índices considerados baixos ou muito baixos. Em 2000, alguns municípios, como João Pessoa e Campina Grande, já chegaram a índices considerados médios. O cenário da qualidade de vida melhorou em todo o País e a Paraíba acompanhou esse ritmo de crescimento, mesmo ainda figurando entre as últimas posições do ranking nacional.
A metodologia do estudo leva em conta a longevidade (esperança de vida ao nascer), educação (acesso ao conhecimento) e renda (padrão de vida, calculado pela renda per capita em agosto de 2010). Entre os números apresentados, alguns municípios tiveram destaque no levantamento. A cidade de Cacimbas é o que possui menor índice de longevidade do País (0,672), junto com a cidade de Roteiro (AL). Nos dois municípios, a expectativa de vida é de 65,3 anos. Mataraca também aparece no ranking, com o 3º menor índice de longevidade (0,675).
Em 2010, a esperança de vida ao nascer média para o Estado é de 72,0 anos e, para o País, de 73,9 anos. O município com maior longevidade da Paraíba é a Capital, João Pessoa, com expectativa de vida de 74,9 anos. Seguem no topo do ranking estadual os municípios de Cabedelo (74,3 anos), Patos (74,3 anos), Santa Teresinha (74,2 anos) e Cajazeiras (73,9 anos).
No quesito Educação, a cidade de Várzea, situada na Borborema, possui o melhor índice do Estado: 0,714. Os dados do Atlas mostram que o ótimo desempenho de Várzea é resultado do aumento do número de alunos nas salas de aula: a proporção de crianças de 11 a 13 anos frequentando os anos finais do ensino fundamental cresceu 41,68% entre 2000 e 2010 e 236,89% entre 1991 e 2000. A proporção de jovens entre 15 e 17 anos com ensino fundamental completo cresceu 129,20% no período de 2000 a 2010 e 879,77% no período de 1991 a 2000. Após Várzea, o ranking paraibano de Educação segue com João Pessoa (0,693), Campina Grande (0,654), Cabedelo (0,651) e Santa Luzia (0,635). O município com pior IDHM em Educação na Paraíba é Gado Bravo, com 0,373.
Na Paraíba, o município de Cabedelo ficou em primeiro lugar do Estado no quesito Renda, com 0,782. A renda per capita média de Cabedelo cresceu 305,37% nas últimas duas décadas, passando de R$255,62 em 1991 para R$611,50 em 2000 e R$1.036,21 em 2010. .Em seguida, aparecem João Pessoa (0,770), Campina Grande (0.702), Cajazeiras (0,668) e Patos (0,667). Na parte de baixo da tabela, em último lugar, aparece o município de Santana de Mangueira, com IDHM 0,488.
De acordo com a secretária de Estado de Desenvolvimento Humano, Aparecida Ramos, o retrato da Paraíba já mostra um avanço, mas ponderou que todo crescimento real é lento. “O fato de, apesar da evolução, figurarmos entre os IDHM mais baixos do País diz respeito à própria formação social da Paraíba. Ainda temos muitas desigualdades sociais e concentração de renda, principalmente em cidades maiores, como João Pessoa e Campina Grande. Mudar esses índices exige trabalho duro e persistente na elaboração de políticas sociais consistentes. Não é uma coisa que a gente possa modificar de forma rápida”, comentou.
Piores índices
O município com mais baixo IDHM da Paraíba é São Domingos do Cariri, com 0,589. A cidade ocupa a 4416ª posição do ranking geral, em relação aos 5.565 municípios do Brasil. Pedras de Fogo (0,590), Montadas (0,590), Cuité (0,591) e São José de Piranhas (0,591) também figuram com os piores índices.
Crescimento
De 1991 a 2010, o Brasil quase dobrou o seu IDHM, passando de 0,493, em 1991, - considerado muito baixo – para 0,727, em 2010, o que representa alto desenvolvimento humano. Ou seja, nas últimas duas décadas, o País registrou um crescimento de 47,8% no IDHM.
O Atlas
O Atlas do Desenvolvimento Humano Brasil 2013 foi elaborado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), em parceria com o Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (Ipea) e a Fundação João Pinheiro. A grande novidade apresentada este ano pelo Pnud é a plataforma online do Atlas, onde qualquer pessoa pode acessar os dados e evolução de seu município.
João Pessoa: educação avança
A Capital, João Pessoa, também aumentou seu índice e ultrapassou o IDHM do Estado, saindo de 0,551 em 1991, a 0,763 em 2010. Entre 2000 e 2010, a dimensão que mais cresceu em termos absolutos foi Educação (com crescimento de 0,170), seguida por Longevidade e por Renda. Entre 1991 e 2000, a dimensão que mais cresceu em termos absolutos foi Educação (com crescimento de 0,139), seguida por Longevidade e por Renda.
A renda per capita pulou de R$ 483,01 (1991) para R$ 964,82 (2010), representando um crescimento de 99,73% nas últimas duas décadas. A extrema pobreza (medida pela proporção de pessoas com renda domiciliar per capita inferior a R$ 70,00, em reais de agosto de 2010) passou de 12,28% em 1991 para 6,56% em 2000 e para 3,48% em 2010.
A expectativa de vida também cresceu na Capital, indo de 64,60 anos em 1991, para 74,89 em 2010. João Pessoa teve um incremento no seu IDHM de 38,48% nas últimas duas décadas, abaixo da média de crescimento nacional (47,46%) e abaixo da média de crescimento estadual (72,25%). O hiato de desenvolvimento humano, ou seja, a distância entre o IDHM do município e o limite máximo do índice, que é 1, foi reduzido em 47,22% entre 1991 e 2010.
Leia a matéria completa na edição desta terça-feira (30) no seu Jornal Correio da Paraíba. 

Category:

5 comentários:

  1. É uma verdadeira VERGONHA para o município de Cuité estar figurando entre os PIORES municípios com IDHM! Moro na cidade e vejo a realidade todos os dias. A Cidade não cresce, não desenvolve, o município sobrevive de merrecas do FPM, não tem um plano de governo EFICIENTE, a Prefeitura está abarrotada de comissionados (alguns deles fantasmas e parentes da Prefeita). Cidade Universitária, deveria estar postulando entre as MELHORES e não entre as PIORES! #mudançajá

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo plenamente com seu comentário não só em Cuité mais no Brasil inteiro é assim politica é simplesmente para beneficiar um grupinho e não a sociedade como toda isto realmente é uma lastima e o grande atraso deste Brasil

      Excluir
  2. Concordo com voce cidade que nao tem rodoviaria para os estudantes que precisam muito a lendo mais nao tem caixa economica nao tem banco do nordeste em quanto outras cidades que tinha 15 mil habitantes e ja tem banco do nordeste rodoviaria caixa ecomica. A cidade agora possui 30 mil habitantes ou seja o dobro essa cidade e solanea pb vergonha cuite pb que tem 25 mil habitantes

    ResponderExcluir
  3. Com a palavra o grupo que governa esta terra a mais de 20 anos. Lembre-se família imperial, que a culpa não pode ser atribuída a adversários e nem tampouco a governadores passados ou presente.
    Tudo isto prova que os ouvidos que são poluídos pelos rádios, não passam de pura mentira e engodo.
    É lamentável está entre os piores índices da Paraíba e do Brasil. Deixem a maldosa perseguição e aprendam a trabalharem e não somente mamarem nas tetas da vaquinha chamada municipal.

    ResponderExcluir
  4. Plausível esse blog pela sua transparência e imparcialidade. Vejo outros blogs que só servem para bajular determinado grupo político. Deveriam publicar essa nota, já que a mesma é oficial. Ao invés de publicar notinhas pré-intencionadas criadas por blogueiros puxa-sacos.
    Um dia desses vi um comentário de um cidadão que dizia que Picuí tinha “complexo de inferioridade e inveja” de Cuité.
    Inveja do que? De uma panelinha que se denominam "ilderanças políticas" que não ultrapassam as fronteiras da cozinha onde recebem os babões ? Inveja de um atual suplente de Deputado? Inveja de uma cidade que sapateia entre os piores IDH da Paraíba?
    Deve ser inveja de um batalhão que vai ser CONSTRUÍDO onde mesmo?

    ResponderExcluir

Deixe aqui registrada a sua opinião, este é um espaço aberto ao debate!
A sua identificação é bem vinda!
Acima de tudo RESPEITO às opiniões!

Participe e volte sempre!