COLUNA TÁRCIO PESSOA

Cuité Pb online | 10:32 | 0 Comentários

Partilhar

O Sentido das coisas e as coisas sem sentido!
Por Tárcio Handel Pessoa 

Pascoa! A celebração da força do renascimento, da apoteose da vida sobre a morte.
A Pascoa fecha com alegria uma semana dedicada a reflexão sobre a existência terrena, sobre o sofrimento e paixão daquele que sacrificou a sua vida por toda a humanidade.
De quem veio a terra e aqui viveu e sofreu como um humano, para demonstrar que a maior de todas as forças, é a força do Amor.
O Amor que fez o Criador mandar a terra o seu filho para que aqui vivesse como um de nós, o Amor que fez do padecimento de Cristo a maior das lições por ele deixada, o Amor que o fez ungir aos Céus pelo bem de toda uma civilização.
Essa história foi vivida por Cristo a mais de dois mil anos, e a cada ano, todos os Cristão passam a refletir sobre o Seu sofrimento e o Seu sacrifício e sobre a Sua ressureição.
Em dois mil anos o mundo mudou e sofreu uma profunda transformação, as pessoas modificaram suas formas de ver e sentir o mundo, conceitos e civilizações foram erguidas e ruíram, impérios ascenderam e caíram, doutrinas e dogmas cresceram e se fortaleceram como muralhas e foram posteriormente varridas como poeira ao vento.
No entanto, no cerne de tudo, prevaleceu a essência do Amor de Cristo como o sentido principal e a matriz de todas as coisa, a força motriz que mantem a tradição e a Fé do Cristão. A força da supremacia do bem sobre o mal, do Amor sobre o ódio.
E esse é sem sombra de duvidas, o maior dos sentidos e a mais forte lição observada no sacrifício de Cristo.
Na vida tudo é passageiro, tudo é efêmero, a matéria se esvaíra sobre a força do tempo, tudo é fugaz.
Da vida só se leva a vida que se lava.
E justamente neste ponto, é que devemos passar a refletir sobre o que fazemos com a nossa historia, sobre o que fazemos com as nossas vidas, sobre como chegamos a nossas escolhas.
Hoje, o ser humano passou a viver uma busca efêmera por satisfações momentâneas e materiais, passamos a dar mais valor ao parecer ao invés de dar valor ao ser, ou seja não é preciso ter caráter é preciso ter dinheiro.
Passamos a criar uma sociedade onde os valores são amparados em cima daquilo que se aparenta materialmente.
Vivemos uma busca voraz pelo acumulo material, uma corrida insana pela satisfação momentânea e com isso, vamos aos poucos, destruindo a essência que nos faz humanos e solidários.
Hoje, no feriado da Semana Santa, nós preocupamos mais com o feriado e menos com o que motivou a sua realização.
Hoje as coisas passam a perder o sentido de sua essência, passam a padecer de conteúdo; os valores são destruídos de forma tão rápida e pueril que não nós damos conta do que esta acontecendo.
Infelizmente para a sociedade, a cada dia passa a ser mais e mais valorizado aquele individuo que ostenta o que tem, que mostra o seu acumulo material de todas as formas.
Valorizamos o safado corrupto que possui o carro da moda ou que se elege sob a miséria e a falta de oportunidade de parte da sociedade.
Hoje é aclamado aquele individuo se dá bem a todo e qualquer preço. Mesmo que para isso use dos mais baixos subterfúgios para tal.
Mesmo que a sua ascensão social, seja patrocinada pelo sofrimento de muitos que passam a ser privados de serviços públicos básicos, mesmo que mães parturientes ou crianças recém nascida não sejam assistidas de forma digna em sua terra natal.
Hoje é ungido ao status de herói aquele que para crescer tem que pisar em cima dos mais fracos, aquele que se mantem no topo as custas de mentira e da enganação, aquele que por possuir aparato financeiro transpassa as brechas legais e se mantem impune através de subterfúgios processuais gerados por um sistema legal que só pune o ladrão de galinha.
Mas tudo no universo tem sua força de ação e reação, e a medida que alguém tira algo que não é seu, outrem sofre por não mais receber aquilo que dele foi tirado. E assim a balança da sociedade vai se equilibrando, e aquele que hoje surrupia verba da educação amanhã é vitima daquele que não teve a oportunidade de ascender pelo trabalho e busca o crescimento através do crime.
E impressionante, mas no nosso meio social isso passou a ser tão usual que caiu na vala do casual e efêmero. Caiu no esgoto do torpe e passa e ser visto como causa natural.
As pessoas passam a buscar primeiro o seu pedaço, passaram a pensar em si de forma exacerbada. E Isso chegou a tal ponto que o pensamento coletivo foi sendo posto a segundo, terceiro e undécimo planos.
Assim o sentimento dominante do individualismo e da necessidade de se dar bem a todo custo passa a direcionar os caminhos da sociedade que passa a absorver a sua essência e a sua moral. Sendo a questão: o que eu ganho nisso? O elemento essencial que leva as pessoas a escolherem seus caminhos e tomarem suas decisões.
Assistimos inertes a ascensão da violência e da bestialidade, e passamos a conviver de forma natural com algo que na essência não é natural.
Somos envolvidos nessa logica e passamos a não nos importar com aquilo que não é conosco. E nessa dança a cada dia centenas de vidas são ceifadas de forma estupida e vil, assassinatos torpes se repetem, agressões ardis tornam-se constantes; massificando uma violência estupida que teima em não recuar, e que não vai recuar.
Neste cenário, a mentira e a hipocrisia são as principais armas daqueles que teimam em locupletar-se sobre a miséria aleia. Estes se fortalecem e ascendem na estrutura de poder, e passam a dominar tendo o seu umbigo e o dos seus familiares como o centro do universo.
Assim, mais do que nunca é fundamental que passemos a refletir sobre as coisas em sua essência.
Em dias como esse, deveríamos por um pouco de nossa energia na construção de uma sociedade mais justa e solidaria, mais humana e altruísta.
Vamos pensar naquilo que nos faz diferentes dos seres bestiais. Naquilo que nós torna melhores como pessoas.

E isso não é difícil só precisamos refletir melhor no sentido das coisas e deixemos de lado as coisas que padecem de sentido! Vamos fazer o Ser transpor o parecer e assim seremos mais felizes.
Vamos pelo menos por alguns instantes, tentar recuperar a doçura da infância e ver o mundo com os olhos da inocência, e assim recompor um pouco da essência que nos faz humanos e Cristão.

Feliz Pascoa.



Category:

0 Comentários

Deixe aqui registrada a sua opinião, este é um espaço aberto ao debate!
A sua identificação é bem vinda!
Acima de tudo RESPEITO às opiniões!

Participe e volte sempre!