O CRUEL RETRATO DA SECA

Cuité Pb online | 13:34 | 1 Comentários

Partilhar

O CRUEL RETRATO DA SECA
POR FLAUBERTO WAGNER 
 
Lendo e acompanhando há vários dias através dos meios de comunicação e das redes sociais as muitas noticias são preocupantes sobre a seca que castiga a região, chego à conclusão que os problemas não são novos, porém, as promessas das soluções são esquentadas.

O estado de calamidade pública é latente, o sofrimento é presente, a ação do poder público é ausente, esse é o retrato atual.

Vejo com muita apreensão a “boa vontade”, dos senhores gestores municipais de tentarem de todas as formas e meios a colocação do circo junino na rua, será que eles estão pensando apenas da autopromoção ou no efeito eleitoreiro da ação, enquanto isso, muitos dos nossos co-irmãos, tem a real e urgente necessidade de uma lata d’água para matar a sua sede e algo alimento combater a sua fome e de seus diminutos rebanhos.

Acho que manter a tradição junina é importante, mais importante é manter o nosso povo juntamente com o que restou de seus pequenos e combalidos rebanhos e das suas plantações de subsistência, que diante da falta d’água é mera utopia.

Por outro lado, temos que ser vigilantes e respaldarmos as ações fiscalizadoras do Ministério Público Federal e Estadual, sempre fazendo chegar ao conhecimento dos mesmos os desmandos com o nosso dinheiro, porque com certeza vai chegar muitas verbas federais para o socorro dos flagelados e como é ano de eleições municipais, tudo é possível!

A Seca que assola o nosso velho e amado nordeste, não é fruto dos castigos de Deus, também não é semente dos efeitos do aquecimento global, como dizem os estudiosos, ela é sim, uma junção de situações e fatos, sendo que a famigerada seca nordestina é uma exposta na literatura brasileira desde indos do século dezesseis, existem muitos relatos que fazem citação do fenômeno devastador.

Nos últimos 50 anos, o nordeste passou 06 períodos de secas avassaladoras, em especial há de setenta, essa vivenciem, e posso afirmar que a deste ano caminha para ser igual e/ou até pior!

Hoje, contamos que alguns paliativos para conter os seus efeitos, porém, não somos possuidores de uma solução definitiva para o problema, em razão da politização do fenômeno, o poder público tem que tratar do flagelo da seca, com ações administrativas e perenes, sem a necessidade de descriminar a vitima do castigo da estiagem, em função da sua opção política.

Sempre quando ocorre essa situação de seca, logo aparecem os profissionais da política administrativa nacional, com um monte de idéias e soluções, que ficam perdidas pelo caminho da cruel burocracia.
Apesar de toda tecnologia a disposição da humanidade, ainda somos envolvidos e dominados pela insuficiência de chuvas no nordeste.

A sustentação do homem do campo no campo tem de ser feita de forma permanente pelo poder público, sob pena de temos que presenciar invasões e saques as cidades do interior, como já ocorreram em anos anteriores.

Temos que ter a humildade de um Franciscano e a sabedoria de um Monge para não aceitamos por hipótese alguma a realização de qualquer evento, que implique no uso do dinheiro público de forma vil, vamos pensar de forma plena no nosso povo, em especial do povo da zona rural, estes sim, merecem o fiel e cabal acolhimento dos poderes públicos constituídos.

Em resumo para que não sejamos obrigados a vivenciar o que muito bem retrata a musica A TRISTE PARTIDA, tão bem interpretada por nosso grande irmão LUIZ GONZAGA.

FLAUBERTO WAGNER DE FARIAS FONSECA
CORRETOR DE IMÓVEIS, EX-CONTABILISTA E REPRESENTANTE COMERCIAL.

Category:

Um comentário:

  1. E a Prefeita pensando em fazer festa Junina numa seca dessa chega a ser vergonhoso!! E ainda mais inaugurando isso ou aquilo. Só quem tem vez e aqueles que vivem mamando nas tetas do Governo ai sim esses não morrem de sede nem de fome e morrem por falta de atendimento de SAÚDE!!

    ResponderExcluir

Deixe aqui registrada a sua opinião, este é um espaço aberto ao debate!
A sua identificação é bem vinda!
Acima de tudo RESPEITO às opiniões!

Participe e volte sempre!