Tributo a Gonzagão - Poema Dinamérico Soares‏

Cuité Pb online | 11:51 | 1 Comentários

Partilhar


Tributo a Gonzagão - Poema Dinamérico Soares‏
Por Eliel Soares

Gonzagão, Gonzagão
Gonzagão, Gonzagão
São sete anos sem tu
Sete anos sem baião
Baião de Exu, do chão de Exu
Que não deixa tua alma – baião.
 
Cantando a alma do povo
Oh, menestrel encorado
Teu peito é um diapasão
A tua alma, um teclado.
 
Cantou do homem do campo
A esperança arribação
Fosse a falta de chuva
Ou as secas do coração.
 
Cangaceiro da palavra
Beato da humildade
Tua voz é o bacamarte
Do povo matar saudade.
 
Com a luz da inspiração
Que tua fé te legou
Foi que o cego Aderaldo
Uma vez te enxergou.
 
( Musicado por Laelson ribeiro – Cuité/PB Gravada por Amazan – Campina Grande / PB )

Category:

Um comentário:

  1. Sou amigo do Dinamérico.
    Fizemos muitas farras, eu ele e Derivan, no bar de seu Martins, que ficava no mercado de Cuité.
    Ontem vi três vídeos em homenagem ao poeta, a lembrança me invadiu instantaneamente e a saudade me torturou...
    Mando um forte e sincero abraço a seu primo-irmão Eliel, a Derivan, a Zé de Luzia e a todos os amigos e admiradores do Dino.
    Peço que entrem em contato.
    jrpb41@gmail.com ou j-robertopb@hotmail.com
    (61) 9642-1064 (vivo) Trab. (61)2028-4377
    Atenciosamente,
    lapiu.

    ResponderExcluir

Deixe aqui registrada a sua opinião, este é um espaço aberto ao debate!
A sua identificação é bem vinda!
Acima de tudo RESPEITO às opiniões!

Participe e volte sempre!