Dinamérico Soares - Silêncio

Cuité Pb online | 18:04 | 0 Comentários

Partilhar

 
SILÊNCIO (DINAMÉRICO SOARES)
Por Eliel Soares

Só o silêncio me falou de amores
Quando seus lábios se fecharam ternos
Quis escrever em todos os cadernos
O poema inspirado em minhas dores.
 
Coisas sublimes foi o que falei
Mostrando – lhe a alma alucinada
Pedindo taciturna, ajoelhada
Realidades daquilo que sonhei.
 
Mas, ao calar- se devo admitir
E resignadamente assistir
Meu desmoronamento de ilusões.
 
A vida vai passar, mas nunca em mim
A lembrança desse amor que chega ao fim
Deixando penas e lamentações.
 
Acervo:  Eliel Soares

Category:

0 Comentários

Deixe aqui registrada a sua opinião, este é um espaço aberto ao debate!
A sua identificação é bem vinda!
Acima de tudo RESPEITO às opiniões!

Participe e volte sempre!