Estado investiu cerca de R$ 243 milhões somente neste ano em saúde

Cuité Pb online | 14:18 | 0 Comentários

Partilhar

O Governo do Estado investiu somente este ano cerca de R$ 243 milhões em saúde e, para 2012, programa novos investimentos. Com isso, a Paraíba foi um dos poucos Estados brasileiros a investir acima de 12% nesse setor conforme determina a Legislação Federal e agora a Emenda 29, aprovada pelo Senado Federal, que trata dos recursos  financeiros a serem direcionados à Saúde. Os números foram divulgados pelo secretário de Estado da Saúde, Waldson Dias de Souza, ao fazer balanço das ações em 2011.
Waldson Souza explicou que agora a saúde na Paraíba vem sendo feita de forma transparente e clara com a participação dos municípios que deram sugestões durante a realização das plenárias do Orçamento Democrático. Nesses encontros várias ações foram discutidas e definidas em comum acordo não só na área de saúde como em todos os setores da administração estadual.  “Quem está lá no município sabe o que está acontecendo e pode dizer o que deve ser feito para melhorar a situação. Foi justamente isso que o Governo do Estado fez: ouviu os reclames da população e juntos buscaram a saída para os problemas de forma democrática e direta”, disse o secretário.
De acordo com o secretário, a área de saúde que compete ao Estado, que é o atendimento hospitalar, é de grande complexidade. “Em 2011, aprendemos muito. Tivemos que começar a pensar a saúde como um sistema, e não como uma colcha de retalhos de eventos separados que, no final, resultava em pouca coisa”, destacou. “Ao longo desse ano, o Governo do Estado enfrentou problemas para administrar e colocar a saúde para funcionar devido à situação de descaso e sucateamento em que encontrou a rede hospitalar. Mas com determinação e força de vontade e a parceria com os municípios tudo está voltando ao normal e a população paraibana de fato está podendo desfrutar de um sistema de saúde com qualidade e eficiência, o que não acontecia nos últimos anos”, avaliou.
No interior do Estado, o secretário destacou que vêm sendo investidos recursos na recuperação da parte física e compra de equipamentos das unidades de saúde. “Com a reestruturação da rede hospitalar estamos melhorando os serviços, para garantir mais qualidade, eficiência e humanização”, disse o secretário.
Waldson Sousa afirmou que um dos grandes desafios enfrentados hoje no setor saúde diz respeito ao subfinanciamento, mas na Paraíba o Governo do Estado não deixou esse problema para trás e tem dialogado com o Governo Federal na busca de mais investimentos para o setor para complementar o teto financeiro do Estado e com isso investir os recursos na melhoria e na prestação dos serviços a população.
Reformas – Somente em obras foram investidos mais de R$ 20 milhões e algumas delas estavam paralisadas. Em alguns hospitais houve reforma e construções a exemplo do Hospital de Trauma de Campina Grande, o Arlinda Marques (João Pessoa), Hospital Regional de Guarabira, Hospital de Picuí, Maternidade e Hospital Regional de Patos, Hospital de Taperoá, Hospital de Queimadas, Hospital de Pombal, Hospital de Monteiro, Hospital de Sumé, Hospital Materno Infantil de Sousa, Unidade Pronto Atendimento (UPA) de Guarabira, construção das UPA de Cajazeiras e Princesa Isabel, construção do Centro de Oncologia em Patos, Hospital Metropolitano de Bayeux e Santa Rita, Hospital de Mamanguape.
De acordo com o secretário, dentro do Pacto pelo Desenvolvimento Social foram investidos cerca de R$ 13 milhões para a estruturação da rede da saúde dos municípios com ampliação de mais de 300 leitos. Na área de formação de pessoal os investimentos, por meio de convênios, ultrapassam os R$ 6 milhões.
Gargalos enfrentados – Os grandes “gargalos” enfrentados na saúde foram em relação ao sucateamento dos hospitais, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) sem funcionar, a falta de medicamentos excepcionais por causa das dívidas deixadas pela gestão anterior com fornecedores, indústria farmacêutica e outros setores.
Com relação ao Samu em Janeiro, apenas 33 ambulâncias estavam em funcionamento (atendendo apenas 25 cidades). Hoje já são 93 em funcionamento (atendendo a 107 municípios, o equivalente a 57,7% da população). Mais 49 municípios serão habilitados até janeiro. “Teremos cerca de 160 bases de Samu em todo o Estado”, garantiu o secretário.
Saúde mental – A saúde mental também recebeu uma atenção especial do Governo do Estado. Ao longo desse ano foram implantados sete Centros de Atenção Psicossocial (Caps) nas cidades de Rio Tinto, Mulungu, Santa Luzia, São João do Rio do Peixe, Cuité, Sapé e um caps infantil  em Pombal.
Ascom

Category:

0 Comentários

Deixe aqui registrada a sua opinião, este é um espaço aberto ao debate!
A sua identificação é bem vinda!
Acima de tudo RESPEITO às opiniões!

Participe e volte sempre!