.

Coluna Alcides Martins

Cuité Pb online | 11:11 | 0 Comentários

Partilhar As Pombas (Raimundo Correia)

Vai-se a primeira pomba despertada...
Vai-se outra mais... mais outra... enfim dezenas
Das pombas vão-se dos pombais, apenas
Raia sangüinea e fresca a madrugada.

E à tarde, quando a rígida nortada
Sopra, aos pombais, de novo elas, serenas,
Ruflando as asas, sacudindo as penas,
Voltam todas em bando e em revoada...

Também dos corações onde abotoam
Os sonhos, um a um, céleres voam,
Como voam as pombas dos pombais;

No azul da adolescência as asas soltam,
Fogem... Mas aos pombais as pombas voltam,
E eles aos corações não voltam mais.

Vocabulário:
Nortada - Vento frio
Ruflando - Sacudindo as asas para voar
Céleres - Velozes

Esse é um dos mais belos poemas da nossa literatura, do poeta Parnasiano Raimundo Correia. Nesse poema, o vôo das pombas é comparado aos sonhos da adolescência. As pombas voam para distante, assim como os nossos sonhos. Elas voltam todas aos pombais, mas os nossos sonhos não voltam nunca mais.

(Alcides Martins)

Category:

0 Comentários

Deixe aqui registrada a sua opinião, este é um espaço aberto ao debate!
A sua identificação é bem vinda!
Acima de tudo RESPEITO às opiniões!

Participe e volte sempre!