.

ALPB debate adoção de crianças, proposta da deputada Gilma Germano (PPS)

Cuité Pb online | 11:37 | 0 Comentários

Partilhar


A adoção deve ser legalmente conduzida e orientada adequadamente, como forma de garantir condições reais de amor no ato de adotar uma criança. Esse foi o tom comum e que marcou o pronunciamento das autoridades que passaram pela Tribuna da Casa de Epitácio Pessoa, na tarde desta terça-feira, durante a realização da sessão especial que debateu a adoção e crianças no Estado da Paraíba, proposta pela deputada Gilma Germano (PPS), e que contou com a presença da primeira dama do Estado, a jornalista Pâmela Bório, entre outras autoridades.

A deputada Gilma Germano disse que o evento alcançou o objetivo a que se propôs, qual seja provocar o debate e informar ao público sobre as questões relacionadas à adoção, vez que o evento contou com a participação de autoridades no assunto, a exemplo do juiz Fabiano de Moura, da 1ª Vara da Infância, e da promotora da Infância e Juventude, Soraya Escorel. “Acredito que cumprimos o nosso objetivo, pais tivemos na tarde de hoje a oportunidade de debater um tema tão importante da nossa sociedade, que é a adoção de crianças”, ressaltou.

O amor foi o tom do discurso feito pela primeira dama, Pâmela Bório, que externou sua preocupação com tema. Ela ressaltou que o atual governo do estado está engajado nesse nessa questão, com políticas de apoio à adoção e às instituições inseridas nas ações relacionadas a questão. “Adotar é sinônimo de amar. Eu não consigo ver o ato de adoção dissociado do amor”, declarou.

O Tribunal de Justiça também participou do evento, com a presença do desembargador Nilo Ramalho, que trouxe ao evento uma equipe de trabalho da Comissão Estadual Judiciária de Adoção, a qual distribuiu aos presentes um panfleto informativo sobre o ato de adotar. No panfleto, há uma citação da professora e pesquisadora Lídia Weber, que afirma: “Adotar é acreditar que a história é mais forte que a hereditariedade, que o amor é mais forte que o destino”.

O juiz Fabiano de Moura, da 1ª Vara da Infância, defendeu a formação de um grupo de trabalho para atuar nessa problemática, como forma de garantir uma adoção legal e que assegure ao estado a garantia de que a criança adota está sendo inserida no ambiente familiar saudável, onde o amor seja o sentimento predominante no ato de adotar. “Na adoção, sempre se levará em conta o melhor interesse da criança ou do adolescente”, disse.

A promotora Soraya Escorel informou que a adoção é uma das principais preocupações do Ministério Público, através da promotoria da Infância e da Juventude. Na ocasião, a promotora Soraya discorreu sobre os passos legais que envolvem o processo de adoção.

CUITÉ PB ONLINE COM WALTER NOGUEIRA

Category:

0 Comentários

Deixe aqui registrada a sua opinião, este é um espaço aberto ao debate!
A sua identificação é bem vinda!
Acima de tudo RESPEITO às opiniões!

Participe e volte sempre!